Meu caminho com o Kombuchá

© Günther W. Frank

Traduzido por Milton Kuhn - Blumenau - SC, Brasil •  E-mail miltonkuhn@brturbo.com


Günther Quem ouve falar pela primeira vez sobre o Kombuchá talvez diga: novamente um remédio milagroso que é festejado e depois de algum tempo desaparece no esquecimento.

Quando, há alguns anos, tomei conhecimento do Kombuchá também pensei assim.

Grandes promessas me tornam cético. Assim foi, quando há alguns anos tomei conhecimento do cogumelo do chá, o Kombuchá.

Será que foi achada a chave geral para a cura de todas as aflições ou até da imortalidade? A sua reputação de ser um verdadeiro remédio milagroso, era para mim suspeito, mas ao mesmo tempo me fez curioso. Eu queria ir a fundo no mito que cerca o Kombuchá desde tempos imemoriais. "Quais são os fatos?" - esta era a pergunta que me movimentou. O cogumelo do Kombuchá, esta pequena fábrica química, que produz diversos ácidos orgânicos e outras substâncias, não me largou mais.

book Prof. Danielova First page
Figuras acima: O livro do Prof. Danielovas (Erewan/Armênia):
"O cogumelo do chá" - da câmara do tesouro da medicina popular russa"

Nas minhas tentativas de aventurar-me nas fontes, descobri que está espalhada pelo mundo uma abundante literatura sobre o cogumelo do chá. O Professor Dr. Eduard Stadelmann já em 1960 publicou uma bibliografia sobre o cogumelo do chá que listava 260 publicações. Neste ínterim o seu número foi acrescido consideravelmente. Começando com publicações alemãs da virada do século, seguindo pela literatura inglesa do Srilanka, Java e EUA, passando por contribuições francesas, estudei tudo o que está relacionado com o cogumelo do Kombuchá. Tive a fortuna de receber valiosos trabalhos científicos da Rússia onde o cogumelo do chá foi pesquisado minuciosamente e aplicado em clínicas depois da segunda guerra mundial. Preparei centenas de litros do "kvass" de chá e os bebi com minha família, fiz alguns experimentos assim como estudei tudo o que pude levantar sobre o tema do Kombuchá. Contatos com microbiólogos, médicos, práticos da saúde, farmacêuticos, químicos e pessoas que pudessem informar a respeito de experiências com o cogumelo do chá ajudaram-me para uma melhor compreensão das correlações e fundamentos. Sou grato também pelo frutuoso intercâmbio de idéias com as muitas mulheres e homens que me deixaram aproveitar das variadas experiências e insucessos.


Um antigo remédio caseiro contra todas as possíveis aflições

Aus FOCUS Nr. 34 vom 21.08.96 Junto com as próprias tentativas, pesquisas e experiências amadureceu em mim o reconhecimento: tem algum fundamento a boa reputação do Kombuchá.

Imagem à esquerda:
Revista FOCUS Nº. 34 de 21.08.96

Muita pesquisa ainda é necessária, outros mecanismos de ação estão completamente fundamentados por verificações científicas e pela experiência. O último segredo deste "cogumelo milagroso", como é chamado em muitas publicações, ainda não foi descoberto. Não gosto da expressão "cogumelo  milagroso".

Se você quiser saber minha opinião sobre o Kombuchá, então posso dizer, com tranqüilidade de consciência: estou convencido das possibilidades positivas de utilização. Quando se leu uma grande variedade de narrativas, quando se ouviu dos próprios  envolvidos coisas surpreendentes e a gente mesmo comprovou muita coisa, não se pode descartar como disparate a confiança das muitas pessoas baseada em sua própria experiência só porque tudo ainda não foi dissecado com exatidão analítica. Basta apenas os relatos da Rússia, onde se continuou a pesquisar o Kombuchá depois da segunda guerra mundial e em que se realizaram verificações científicas nos hospitais, para nos impelir a grandes expectativas mesmo com reflexão realista e sóbria.

Eu pleiteio que a pesquisa do cogumelo do chá, que nos anos vinte começou tão esperançosamente, mas que então de vez em quando mergulhou no esquecimento, seja trazida à discussão não somente em debates, mas que novamente seja reavivada em base científica e assegurada através da realização de estudos.

Eu agora lhes desejo muito sucesso no preparo da bebida do Kombuchá e grandes proveitos pelo seu uso. Que no futuro próximo este cogumelo ocupe em seu lar o seu devido lugar.


© Copyright Günther W. Frank 1996. A utilização e a distribuição não comercial de cópias da documentação completa em forma eletrônica ou impressa são permitidas, quando o conteúdo (incluídas as instruções de mark-up, especificação dos autores e desta informação de Copyright) permanecer inalterado. A publicação de citações (transcrições curtas) com a informação do autor e da fonte é permitida. O uso comercial e a preparação e propagação de elaborações (alteradas, ampliadas, encurtadas ou versões traduzidas) só é permitida mediante consulta ao autor.

Por favor, enviem sugestões e proposições de melhoria (correções,  indicações de links interessantes) por E-mail a frank@kombu.de


Procura rápida
Livros  Alemanha   USA
Música Pop Clássica
O "Jornal do Kombuchá" é um serviço gratuito. Apóie esta página, ao encomendar futuramente todos os seus livros através deste link pelo preço original de varejo sem despesas de correio (acima de 20 €): Livraria pela Internet Amazon.de 

A Livraria Amazon Alemã pela Internet oferece
 uma enorme variedade de títulos alemães e americanos.
 Entrega rápida a domicílio.
 30 dias com direito a devolução.


O Jornal do Kombuchá está em 29 línguas :
Choose your language - Waehlen Sie Ihre Sprache - Choisez votre langue:
[Inglês]    [Alemão]    [Francês]   [Espanhol]    [Italiano]   [Holandês]    [Norueguês]   [Dinamarquês]   [Sueco]    [Português]   [Eslovaco]    [Tcheco]    [Esloveno]    [Hebraico]    [Iraniano]   [Esperanto]   [Croata]   [Finlandês]    [Romeno]   [Húngaro]   [Grego]   [Indonésio]   [Búlgaro]   [Ucraniano]   [Coreano]  [Polonês]   [Russo]   [Chinês]   [árabe]


Günther Günther W. Frank
Genossensch.-Str. 10
75217 Birkenfeld im Schwarzwald
Alemanha

       Retôrno à página principal em português  

       Retôrno à página principal multilíngue

Günther W. Frank - frank@kombu.de
URL desta página: http://www.kombu.de/port-10.htm (O Jornal do Kombuchá)



• Impresso •