Kombuchá para a Saúde
Uma olhada na literatura

© Günther W. Frank

Traduzido por Milton Kuhn - Blumenau - SC, Brasil •  E-mail miltonkuhn@brturbo.com


A bebida, entrementes, alastrou-se em muitas partes da Terra e é utilizada pela medicina popular em todos os possíveis danos e perturbações à saúde. Numerosos médicos e cientistas se ocuparam com os efeitos da bebida do Kombuchá utilizada como medicamento popular. A literatura transborda de publicações que se ocupam com o poder de cura deste medicamento caseiro. Eu procuro dar uma visão geral sobre as publicações que tratam dos aspectos de saúde da bebida do Kombuchá. Com isto, por razões de espaço, não posso mencionar, nem de longe, todos os relatórios.

Quem sabe ouvir, distingue a sabedoria.
Quem não sabe ouvir, só ouve ruído.
(Provérbio Chinês)

Bacinskaja (1914) comprovou, que a bebida é eficaz como regulador da função gastrintestinal. A autora recomendava tomar um copinho da bebida antes de cada refeição aumentando as quantidades aos poucos.

Imagem à esquerda: Extrato de uma enciclopédia russa que encontrei na biblioteca de pesquisa no castelo em Gotha, Turíngia. Na medicina popular da Rússia são atribuídos ao remédio caseiro Kombuchá, desde tempos imemoriais, efeitos curativos que vão desde a mais inofensiva náusea até a mais grave enfermidade.

O Professor S. Bazarewski apresentou em 1915 um relatório na "Folha de Correspondências da Sociedade de Pesquisas Naturais em Riga" segundo o qual, nas províncias bálticas da Rússia, isto é, em Livland e Kurland, está difundido entre a população um remédio popular com o nome de "Brinum-Ssene". Traduzido literalmente significa "Cogumelo milagroso". A este cogumelo "é atribuída uma maravilhosa força curativa para muitas doenças". Alguns dos letões inquiridos por Bazarewski afirmam que ele é de ajuda para dores de cabeça, ainda outros asseguraram que "este cogumelo é de proveito em todas as doenças".

O Prof. P. Lindner (1917/18) relatou que a bebida é usada principalmente como meio para regular a função intestinal. Lindner menciona também que a massa do cogumelo do chá (portanto o próprio cogumelo do chá), além da infusão, pode ser ingerida. Ferner informa a Lindner que soube o seguinte do Oberpostsekretär Wagner de Berlin-Charlottenburg sobre os efeitos curativos do Kvass de Chá: "Há alguns anos, em Thorn, foi-lhe recomendada esta bebida como remédio contra hemorróidas e que encontrou a cura com sua ingestão regular."

O Geheimrat Prof. Dr. Rudolf Kobert (1917/18) reconhece que, com o cogumelo, foi elaborado um "remédio infalível contra o reumatismo das articulações".

Três décimos cura a medicina,
sete décimos cura a dieta.
(Da China)

Também o Prof. Dr. Wilhelm Henneberg (1926) informa que , na Rússia, uma bebida preparada com o cogumelo do chá, chamada Kvass de chá, está em uso em toda parte e que é considerada um "meio de combate contra todo tipo de doenças, especialmente contra constipação".

De acordo com o Dr. Madaus em "Medicina Biológica" (1927) possui o cogumelo, isto é, seus produtos metabólicos, excelente influência sobre a regeneração das paredes celulares e é por isto um excelente medicamento contra a calcificação arterial.

Waldeck (1927) conta que, durante a primeira guerra mundial, no ano de 1915 na Rússia-Polônia, um farmacêutico, junto ao qual estava alojado, lhe preparou uma "bebida maravilhosa" contra sua constipação. O farmacêutico recomendou a Waldeck que ele nunca deixasse este "segredo e remédio caseiro russo" se extinguir "uma vez que ele poderia ser bom para todos os possíveis sofrimentos" e, "em razão de seus ácidos naturalmente formados, poderia combater com sucesso os males da idade e assim contribuir para o prolongamento da vida".

O Prof. Dr. Lakowitz (1928) confirma a afirmação de Waldeck de que, com o cogumelo do chÁ, distúrbios de digestão rapidamente podem ser afastados. Com ele também foram afastados experimentalmente dores de cabeça e distúrbios nervosos. Lakowitz chega à conclusão: "Uma disseminação geral do cogumelo do chÁ com a finalidade de uso e produção deste kvass de chÁ como remédio contra distúrbios da digestão e todo tipo de males da idade é inteiramente desejÁvel em todos os círculos populacionais, assim como seu cultivo e distribuição pelas farmÁcias e drogarias."

Na revista "Bandeira Branca" (1928) informa-se: "O gosto refrescante da bebida do chÁ agrada em geral, e o efeito é muito bom, o que pode ser constatado em pouco tempo. O paladar é muito agradÁvel, ele lembra um pouco o vinho levemente espumante ou mosto doce. - O efeito do chÁ mostra-se, na maioria das vezes, bem depressa. Ele age, antes de tudo, na limpeza do sangue e na dissolução de toxinas, e deve, como nos escreve a nossa digna amiga, prestar excelentes serviços também em erupções no rosto. Além disto ele é excelentemente eficaz, de acordo com opiniões médicas, no caso de dores de cabeça constantes, dores nas juntas, gota, reumatismo, assim como nos males da idade. O efeito geral do cogumelo do chÁ jÁ se mostra após algumas semanas na melhora do estado geral e no aumento da capacidade, que podem ser atribuídos ao elevado conteúdo vitamínico e hormonal do cogumelo, o que além do mais é enfatizado por médicos.

Além disto o cogumelo, parecido com a vitamina R, estimula excelentemente o metabolismo, e ajuda assim a desintoxicação do corpo, quer dizer, eliminação de substâncias doentias de todo tipo."

ComentÁrio: De acordo com o ponto de vista atual, parte-se do princípio de que o Ácido glucurônico se liga às substâncias tóxicas eliminando-as na urina (glucuronóides ou "Ácido glucurônico emprelhado").
 

O Dr. Maxim Bing (1928) recomenda a esponja do Kombuchá como "meio muito eficaz para combater a calcificação arterial, gota e constipação". Com a utilização de culturas novas e boas ocorre uma "ação eficaz que se manifesta na calcificação arterial, na redução da pressão sanguínea, cessação das sensações de medo, irritabilidade e dores, enxaqueca, tonturas, etc. A constipação e as manifestações que a acompanham também podem ser melhoradas rapidamente. Na calcificação dos rins e dos vasos capilares do cérebro atingem-se resultados especialmente eficazes, enquanto que as calcificações dos vasos cardíacos foram influenciadas com menos eficácia."

Bing esclarece o mecanismo de ação do Kombuchá ao seu modo. Ele havia observado que o cogumelo do chá funciona especialmente bem com o chá preto (nota: assim como com o chá verde, que é o chá preto não fermentado). Agora o chá preto contém, como Bing sabe, "a maioria das purinas, entre elas também as que ocorrem no metabolismo humano. Estas purinas são corpos químicos constituídos dos assim chamados ácidos nucléicos. Estes por sua vez são componentes das proteínas que constituem o núcleo das células. Com a alimentação tomamos diariamente grandes quantidades de ácidos nucléicos dos quais, no curso da digestão, se separam as purinas. Entre as purinas está em primeiro lugar o ácido úrico, do qual a pessoa adulta saudável consome diariamente meio grama. No caso de calcificação arterial e gota o corpo freqüentemente retém ácido úrico. Este circula no corpo como urato monossódico dificilmente solúvel. O urato tem tendência de se depositar em determinados tecidos, especialmente em paredes de vasos sanguíneos adoentados, canaletes dos rins ou articulações."

Do fato de que o cogumelo do chá se desenvolve bem no chá preto rico em purinas, Bing presumiu que os microorganismos do Kombuchá necessitam das purinas para seu metabolismo e as assimilam. Ele deduziu que elas também o fazem no corpo humano transformando as substâncias dificilmente solúveis em água, como o ácido úrico, em substâncias facilmente solúveis em água (aloxana e uréia). Aloxana e uréia então deixam o corpo com a urina. Com este mecanismo de eliminação esclareceu-se para o Dr. Bing a ação eficaz do Kombuchá na gota e na calcificação arterial.

Na minha opinião algo fala a favor de que os bons efeitos do cogumelo do chá na gota, reumatismo, artrite, etc. podem ser esclarecidos pelo fato de que, no corpo, toxinas depositadas podem ser tornadas hidrossolúveis e elimináveis pelos rins através da conjugação com o ácido glucurônico contido na bebida podendo ser eliminadas com a urina. Pela conjugação, uma forma de biotransformação, substâncias endógenas e exógenas são transformadas em glucoronóides (que também são chamados de "ácido glucurônico emparelhado") através do ácido glucurônico.

E. Dinslage e W. Ludorff (1927) opinam, com base no comunicado do Laboratório de Controle de Alimentos da Estação de Pesquisas Agrícolas de Münster na Vestfália, que os anunciados sucessos de cura devem ser atribuídos a seu conteúdo ácido. "Não seriam de se temer danos à saúde por uma fermentação normal, especialmente se esta não for excessivamente longa e com a utilização de recipientes de fermentação livres de contaminantes."

O Dr. Siegwart Hermann (1929) descreve impressionantes resultados em experimentos com gatos. Ele dava aos animais, simultaneamente, óleo de vigantol e xarope de Kombuchal (um concentrado de Kombuchá). Dos 7 gatos 5 sobrevivem ao experimento com boa saúde. Os 9 gatos de controle, aos quais deu a mesma quantidade de vigantol sem o Kombuchal, todos morrem após 4 semanas. Mais tarde dois gatos, após pesado envenenamento com vigantol, puderam ser salvos. Nos gatos contaminados com vigantol o conteúdo de colesterol no sangue é fortemente elevado, com terapia à base de Kombuchal o nível de colesterol torna-se normal ou muito pouco acima do normal. Isto é interessante porque também na aterosclerose humana ocorre um aumento do nível de colesterol. Hermann resume seus experimentos assim: "Tanto as observações dos médicos junto ao leito dos doentes quanto o experimento com os animais mostram que os efeitos alegados pelo povo foram muito bem observados no geral."

O Professor Dr.W.Wiechowski (1928), então presidente do Instituto Farmacológico da Universidade Alemã de Praga, dedicou à questão do Kombuchá um interessante tratado com o título "Que posição o médico deve assumir com relação à questão do Kombuchá?". De acordo com as experiências de Wiechowski, antes de tudo, as doenças ateroscleróticas da idade representam a área de aplicação do Kombuchá. Ele menciona "experiências que falam a favor de que o Kombuchá também está em condições de influenciar os extremamente dolorosos ataques de angina do peito". Além disto, a inofensiva  substância possui uma ação levemente laxativa. Em especial Wiechowski relata resultados que o Prof. Paul (Viena) observou na  diabetes.

Wiechowski expressa uma posição da ciência médica, notável para minha compreensão, em relação ao Kombuchá: "Como já foi mencionado, utilizar um remédio sobre cujo modo de ação a farmacologia experimental ainda não foi capaz de averiguar nada, não se contrapõe de nenhum modo às bases da medicina. Ao contrário, vemos muitas vezes, que medicamentos há muito usados na terapia, foram esclarecidos relativamente tarde pela farmacologia experimental com relação ao modo de sua ação. (...) No caso do Kombuchá, como se trata de um meio inteiramente inofensivo, não subsiste nenhum motivo para alertar a população em relação a sua utilização, que por enquanto deve ser mencionada como dietética antes que terapêutica.

O fato de que puderam ser removidas penosas dificuldades subjetivas, em numerosas pessoas, através do uso regular do Kombuchá, deveria sozinho ser suficiente, para tornar disponível a utilização desta substância, já no estádio atual, a um círculo possivelmente grande da população, de forma inteiramente independente do fato de a ciência médica ser capaz ou não de dar uma explicação para sua eficácia."

Ignorância não é: saber pouco.
Também não é: querer saber pouco.
Ignorância é: acreditar saber o suficente.
A.J.Daniel (escritora americana, 1921-1982)

O farmacologista Wiechowski formou a convicção de que os indiscutíveis sucessos de cura obtidos pela ingestão da bebida do Kombuchá se baseiam, não em sugestão, mas num efeito efetivamente terapêutico da bebida sobre o organismo humano. O próprio Prof. Wiechowski tinha se convencido dos indiscutíveis sucessos de cura da bebida do Kombuchá nos experimentos que foram realizados na clínica interna do Prof. Dr. Jaksch em Praga.

O Dr. L. Mollenda (1928) relata, que a bebida do Kombuchá provou  ser eficaz especialmente nos distúrbios dos órgãos digestivos, cuja função virtualmente ele normaliza. Além disto a bebida aprovou na gota, reumatismo e diversos estádios da aterosclerose. Sobre outras possibilidades de aplicação ele escreve: "Na angina, especialmente quando se trata do revestimento das amídalas, não apenas a bebida deve ser gargarejada, mas a mesma também deve ser ingerida, e de fato, com a finalidade de eliminação das bactérias que atingiram o estômago com alimentos e bebidas. O gargarejo, na angina, produz rápida recuperação, e nas dores da gota e aterosclerose foram conseguidos sucessos impressionantes mesmo em casos graves. (...) A bebida, mesmo quando azeda, não produz hiperacidez do estômago, mas facilita e promove notoriamente a digestão inclusive de alimentos de difícil digestão. Sucessos igualmente eficazes após ingestão da bebida do Kombuchá foram conseguidos também na erupção de gota (eczema) e no caso de cálculos nos rins, bexiga e vesícular biliar."

O Dr. E. Arauner (1929) informa com relação a diversos pareceres e juízos médicos e chega à seguinte avaliação: "Em suma pode-se dizer, que o fungo do chá, ou o extrato por ele produzido, demonstrou ser um excelente preventivo contra diabetes, principalmente contra afecções da idade, como calcificação arterial, pressão alta com seqüelas, como vertigem, gota, hemorróidas, e no mínimo é um laxante agradável". O Dr. Arauner informa que o fungo do chá, em sua terra natal, na Ásia, está em uso, por causa de sua surpreendente eficácia de cura, desde séculos, como o mais eficaz medicamento popular natural para cansaço, exaustão, nervosismo, manifestações da idade, calcificação arterial, preguiça intestinal, gota e reumatismo, hemorróidas e diabetes.

Arauner informa ainda que o cogumelo do chá chegou à Alemanha, nos últimos anos, provavelmente através de prisioneiros de guerra,  e que não só professores, médicos e biólogos confirmaram os surpreendentes sucessos de cura, mas que também, do círculo dos que ingeriram a bebida do cogumelo do chá, estão disponíveis relatos sobre "a excelente eficácia sobre o funcionamento geral do corpo".

O então diretor da oficialmente reconhecida Academia de Farmacêuticos de Braunschweig, Hans Irion, diz em seu "Curso para Escolas Profissionais de Farmacêuticos" (1944, Volume 2, página 405): "Pela ingestão da bebida, que é chamada de kvass de chá, ocorre um notável reavivamento de todo o sistema glandular do corpo e um fomento do metabolismo. O kvass de chá é recomendado como excelente profilático contra gota e reumatismo, furunculose, calcificação arterial, pressão alta, nervosismo, preguiça intestinal e manifestações da idade. Ele também é muito recomendável para atletas e pessoas que  realizam esforço intelectual. Pela promoção do metabolismo é prevenido ou eliminado o excesso de gordura. Com a bebida também entram no corpo microorganismos que transportam, e assim eliminam, detritos prejudiciais, como ácido úrico, colesterol, entre outros, em forma facilmente solúvel. Bactérias de decomposição intestinal são reprimidas."

A primeira descrição em forma de livro, que tinha o cogumelo do chá como tema, apareceu em 1954. O livreto de 54 páginas foi escrito em língua russa e traz o título "Cajnyj grib i ego lecebnye svojstva" (O cogumelo do chá e suas propriedades terapêuticas). O autor G.F. Barbancik aponta, numa introdução, para a primeira aplicação do líquido do cogumelo do chá (no ano de 1949) como remédio na clínica terapêutica do Hospital Omsker para trabalhadores do sistema de águas. Ele sumariza os principais resultados, principalmente de autores russos, que foram obtidos com o cogumelo do chá como remédio. Ele informa sobre emprego bem sucedido em inflamações das amídalas, enfermidades internas de vários tipos especialmente inflamatórias, catarro estomacal por escassez de produção de ácidos, inflamações dos intestinos delgado e grosso, disenteria, calcificação arterial, pressão alta, esclerose, etc.

Num curto capítulo, entitulado "De alguns rumores infundados sobre o cogumelo do chá", Barbancink aponta com ênfase, que a possibilidade de uma ação cancerígena do cogumelo do chá do ponto de vista médico-científico carece de todo fundamento.

O médico Dr. Rudolf Sklenar de Lich/Oberhessen informou em 1964 na revista "Erfahrungsheilkunde (Medicina Esperimental)" sobre seus métodos de diagnóstico e escreve sobre seus sucessos terapêuticos: "Um excelente remédio natural é a ingestão de uma bebida de cogumelo de nome Combuchá que age desintoxicando em todo sentido e dissolve microorganismos assim como ácido úrico e colesterol". O Dr. Sklenar desenvolveu uma terapia biológica do câncer, na qual o Kombuchá, ao lado de outros remédios biológicos, como coli-preparados para o saneamento da flora intestinal, representa um papel importante.

Num folheto de 8 páginas com o título "Diagnóstico do câncer pelo sangue e o tratamento do câncer, doenças pré-cancerosas e outras doenças do metabolismo com Kombuchá e coli-preparados" o Dr. Sklenar informa que antes de tudo, são reconhecidos como eficazes as vitaminas, ácidos lácticos e ácido glucurônico. Haveria o "extermínio de microorganismos (vírus, bactérias, fungos) e dissolução e eliminação de detritos (ácido úrico, colesterol, etc)." O Kombuchá causaria "uma notável desintoxicação do organismo". Além disto, pela ingestão da bebida, ocorreria uma "pronunciada revitalização de todo o sistema glandular e uma estimulação do metabolismo".

O Dr. Sklenar informa que pôde tratar com sucesso as seguintes doenças com o cogumelo do chá: "Gota, reumatismo, aterosclerose, artrite, deficiência da flora intestinal, preguiça intestinal, impotência, corrimento inespecífico, obesidade, furunculose, cálculos renais, colesterol, câncer, principalmente em seus estágios iniciais, etc."

A Dra. Veronika Carstens (1987), a esposa do ex-presidente da República Federal da Alemanha, recomendou o Kombuchá num série com o título "Ajuda da natureza - meus remédios contra o câncer" com estas palavras: "O Kombuchá desintoxica o organismo e estimula o metabolismo, com isto a eliminação é melhorada."

O médico naturalista A. J. Lodewijkx (Homepage: http://www.ngab.nl/) de Ermelo Países Baixos escreve sobre o Kombuchá em seu muito recomendável livro "Viver sem câncer" (disponível em holandês e alemão):

"O cogumelo do Kombuchá tem fortes propriedades anti-sépticas. O chá limpa o sistema glandular e estimula a digestão. O ácido úrico é neutralizado e eliminado pelo Kombuchá, por isto este chá é um excelente remédio contra a gota, reumatismo, artrite, cálculos renais, deficiência da flora intestinal, principalmente contra o câncer e seus estágios iniciais, uma vez que o cogumelo do Kombuchá exerce um poderoso efeito sobre os endobiontes patogênicos. Como vimos são os endobiontes que anulam os glóbulos vermelhos do sangue através de uma acidez alterada. O Kombuchá, em todas as doenças do metabolismo e câncer, é uma bebida insuperável para a limpeza do corpo. O Kombuchá elimina os dejetos do metabolismo e assim normaliza o pH do sangue."

Gottfried Müller , o fundador das mundialmente conhecidas organizações Crianças de Salém e das Aldeias da Juventude, elogia o cogumelo do Kombuchá assim: "Um presente dos céus. Principalmente em tempos de crise da saúde." (Em "Ajudas de Salém" 15, n. 3, agosto de 1987, pág. 2).

Eu tentei dar uma visão geral sobre as publicações que se ocupam com os aspectos de saúde da bebida do Kombuchá. Nem de longe mencionei todos os informes. Naturalmente não é necessário dar-se ao trabalho de repassar os muitos relatórios. A gente também pode formar sua opinião sobre o Kombuchá segundo ditado: Quanto menos se souber tanto mais seguro o veredito. Mas quando não se ignora os muitos informes de experiências e as publicações científicas (antes de tudo também as russas) que se fundamentam em observações que se estendem por décadas, permanece a perspectiva de que se chega a um julgamento próprio e independente sobre o cogumelo do Kombuchá. Os informes orais adicionais de usuários do Kombuchá, assim como as próprias experiências, deixaram amadurecer em mim a opinião de que tem alguma coisa nos efeitos atribuídos ao Kombuchá que não se pode simplesmente ignorar como disparate ou charlatanismo.

Muitas propriedades medicinais atribuídas ao Kombuchá necessitam de pesquisas. Outros mecanismos de ação, contudo, estão inteiramente fundamentados em investigações científicas e experiência, por exemplo, regulação da flora intestinal, fortalecimento celular, desintoxicação e eliminação, harmonização do metabolismo, ação antibiótica, favorecimento do equilíbrio ácido-basico.

Ambos se prejudicam a si mesmos:
o que promete demasiado
e o que espera muito pouco.


© Copyright Günther W. Frank 1996. A utilização e a distribuição não comercial de cópias da documentação completa em forma eletrônica ou impressa são permitidas, quando o conteúdo (incluídas as instruções de mark-up, especificação dos autores e desta informação de Copyright) permanecer inalterado. A publicação de citações (transcrições curtas) com a informação do autor e da fonte é permitida. O uso comercial e a preparação e propagação de elaborações (alteradas,ampliadas, encurtadas ou versões traduzidas) só é permitida mediante consulta ao autor.

Por favor, enviem sugestões e proposições de melhoria (correções,  indicações de links interessantes) por E-mail a frank@kombu.de


Schnellsuche
Bücher  DE-Titel US-Titel
Musik Pop Klassik
O "Jornal do Kombuchá" é um serviço gratuito. Apóie esta página, ao encomendar futuramente todos os seus livros através deste link pelo preço original de varejo sem despesas de correio (acima de 20 ):
 Livraria pela Internet Amazon.de 

A Livraria Amazon Alemã pela Internet oferece
 uma enorme variedade de títulos alemães e americanos.
 Entrega rápida a domicílio.
 30 dias com direito a devolução.


O Jornal do Kombuchá está em 29 línguas :
Choose your language - Waehlen Sie Ihre Sprache - Choisez votre langue:
[Inglês]    [Alemão]    [Francês]   [Espanhol]    [Italiano]   [Holandês]    [Norueguês]   [Dinamarquês]   [Sueco]    [Português]   [Eslovaco]    [Tcheco]    [Esloveno]    [Hebraico]    [Iraniano]   [Esperanto]   [Croata]   [Finlandês]    [Romeno]   [Húngaro]   [Grego]   [Indonésio]   [Búlgaro]   [Ucraniano]   [Coreano]  [Polonês]   [Russo]   [Chinês]   [Árabe]


Günther W. Frank
Genossensch.-Str. 10
75217 Birkenfeld im Schwarzwald
Alemanha

       Retôrno à página principal em português

       Retôrno à página principal multilíngue

Günther W. Frank - frank@kombu.de

• Impresso •